O que é ser um vegetariano


http://1.bp.blogspot.com/_DS1bAe4Y-Mk/TTIRed4VbiI/AAAAAAAAAEg/c-5VLtLC0rQ/s1600/V2.png

Para cortar o consumo de carnes da dieta é preciso atenção aos hábitos alimentares, de forma a garantir todos os nutrientes essenciais ao organismo

Vegetariano é quem elimina completamente o consumo de carne, seja de boi, de frango, peixe, entre outras, apesar de o termo englobar também uma ampla variedade de práticas alimentares. No entanto, abolir o consumo de carne da alimentação diária não é uma tarefa simples e exige cuidados para que esta seja uma escolha saudável. Seja por razões religiosas, preocupação com os animais ou ideologia, o vegetarianismo tem sido considerado por muitas pessoas como uma opção viável à dieta alimentar, um novo estilo de vida. Mas, para adotar o vegetarianismo e ainda assim assegurar a ingestão de todos os nutrientes essenciais, é preciso cuidado.

Tipos de vegetarianismo: A ausência de qualquer tipo de carne na dieta é o ponto comum entre todos os vegetarianos. Mas há diferentes correntes dentro dessa linha de alimentação. Conheça as principais:

- Ovolactovegetarianismo: Inclui ovos, leite e laticínios na alimentação.

- Lactovegetarianismo: Não permite ovos, porém inclui leite e laticínios no cardápio.

- Ovovegetarianismo: Aprova alimentos de origem vegetal e ovos, mas o leite e seus derivados são excluídos.

- Vegetarianismo estrito: Não inclui nenhum tipo de produto animal na alimentação. Até mesmo o mel e a gelatina (elaborada com proteína animal) são excluídos da dieta. Os indivíduos que seguem esta dieta também são conhecidos como vegetarianos puros.

- Veganismo (ou vegan): Além de ser uma dieta vegetariana estrita, proíbe o uso de qualquer item de origem animal, como roupas de couro, lã e seda, assim como cosméticos testados em animais.

- Frugivorismo: Seguem esta dieta os vegetarianos estritos que ingerem apenas frutos. O conceito de frutos, nesse caso, pode variar. Alguns adeptos consideram como frutos apenas aqueles doces e suculentos, como as maçãs, laranjas e bananas. Outros, porém, incluem vegetais como tomate, pepino, além das nozes e grãos. Há, ainda, os frugívoros que consomem vegetais folhosos e raízes em sua dieta. 

Quer adotar o vegetarianismo? Então siga as dicas:

- O segredo de cardápios vegetarianos é a combinação de alimentos que forneçam os nutrientes essenciais ao bom funcionamento do nosso corpo na quantidade adequada, bem como o planejamento das refeições de forma a facilitar a absorção de alguns nutrientes. Por exemplo: prefira rechear a lasanha de verdura com molho vermelho. Isso porque o cálcio – presente no leite e, portanto, no molho branco – dificulta a absorção do ferro fornecido pela verdura escura. O ideal é combinar alimentos que contêm ferro com outros com grande quantidade de vitamina C, como completar a refeição que contém feijão, beterraba e vegetais verde-escuros com uma laranja ou suco de laranja, para, dessa maneira, potencializar a absorção do mineral!

- Busque orientação médica para assegurar que não falte nenhum nutriente ao seu organismo. Por exemplo, a vitamina B12 - importantíssima para a saúde – é encontrada principalmente nos alimentos de origem animal. No caso dos vegetarianos estritos pode haver falta desta vitamina, e o profissional poderá indicar sua suplementação. Os vegetarianos devem ter atenção, também, em relação à ingestão de cálcio, zinco e ferro. A deficiência de ferro pode de causar anemia.

Substituições espertas
Se você não consome carne, veja quais são os alimentos de origem não animal que fornecem os nutrientes adequados para a sua saúde:

- Proteínas: As combinações de leguminosas e cereais, como feijão, soja, lentilha, grão-de-bico, ervilha associados ao arroz, arroz integral e derivados do milho.

- Vitamina B12: Cereais enriquecidos.

- Ferro: Feijão, beterraba e vegetais verde-escuros, como couve e espinafre. O consumo de fontes de vitamina C como laranja, tomate, acerola e abacaxi – pode potencializar a absorção do ferro.

Fique atento:
Como há diversos tipos de vegetarianismo, que se diferenciam na forma como evitam os produtos de origem animal, é necessária uma abordagem individual para se avaliar a qualidade nutricional da alimentação de um vegetariano. Só assim é possível fazer um planejamento personalizado e seleção apropriada de alimentos. Por isso, é importante consultar um nutricionista, evitando riscos à saúde por deficiência de nutrientes, e promovendo, assim, desenvolvimento adequado.



Quais são os benefícios de uma vida vegetariana do ponto de vista mágico?

Vegetais e frutas são considerados sattívicos ou puros. A carne é considerada rajásica ou perturbada. A carne tornará mais difícil controlar a mente. Estatisticamente, também leva a doenças mais frequentemente. Alimentos apimentados são rajásicos também, e também a carne mais velha, como a usada em “mexidos”. Esse tipo de carne é tamásica e causa preguiça. A carne também leva à preguiça mais frequentemente, e pode excitar a mente para a ira mais facilmente. Os carnívoros argumentarão sobre isso, mas um simples fato é que, se eles observassem uma dieta vegetariana por até só uma semana eles veriam uma boa mudança na consciência e na atenção. A carne excita a mente e pode torná-la facilmente inadequada para a concentração. Essa é a razão da Yoga para não se comer carne.


A versão ocultista é um pouco mais longa e se segue:

Os minerais contêm apenas um corpo denso e a raiz de uma alma, que não é contida no corpo denso. Os seus corpos etérico, astral e mental são permeados pelo Universo. Eles não pertencem ao próprio mineral. As plantas possuem seu próprio corpo físico/denso e um corpo etérico. Percebendo como o corpo astral e a mente são os únicos lugares do “ser” numa coisa, as plantas não são infundidas com emoções e experiências ou memórias do mesmo modo que os animais são. Animais contém um corpo denso, um corpo etérico e um corpo astral. Aí está o grande problema em se comer carne regularmente de uma perspectiva ocultista. Quando você come a carne, especialmente se não foi drenada de todo o sangue para se tornar mais enxuta, você está comendo um corpo denso que foi permeado por emoções, enquanto o sangue contém partes do ego ou ser do animal.



Portanto, seu próprio corpo tem de trabalhar muito mais para digerir carne, porque além do difícil processo de digestão densa, o corpo astral tem de digerir sua energia também, que é geralmente não pura ou desejável. Quanto mais inteligente é um animal, é mais difícil para o seu corpo astral consumir. Um peixe é consumido bastante facilmente, porque tem sangue frio e, portanto, seu ego está fora do corpo físico do peixe e quase totalmente controlado externamente. Animais de sangue quente contêm o ego dentro da casca física, portanto qualquer animal de sangue quente tem de ser julgado de acordo com sua inteligência. Embora haja exceções, geralmente, entre animais de sangue quente, a galinha seria a primeira escolha e deveria realmente ser a única escolha. Qualquer carne vermelha que seja deveria ser evitada, especialmente durante os estágios iniciais de treinamento antes de a mente se tornar totalmente estabelecida em consciências mais elevadas. Geralmente, a respeito de carne, eu aconselho que meus estudantes só comam peixe, e ocasionalmente galinha se a Vontade deles não é forte o suficiente para uma dieta vegetariana no início.



Dito isso, a completa renúncia de carne não é requerida para a prática espiritual. Porém, o aspirante deveria usar todas as ferramentas possíveis nos primeiros anos de treinamento, e uma dieta vegetariana é uma ferramenta muito poderosa. A mente é muito difícil de treinar. Eu tenho alguns estudantes cujas mentes são mais fáceis de domar e portanto eles não precisam de seguir tais regras tão rigorosamente, enquanto eu tenho outros estudantes dos quais eu requiro Observação de Silêncio, Jejuns, Celibato etc porque eles precisam toda a ajuda possível para domarem suas mentes. Nenhuma magia pode ser executada sem o controle da mente, e nenhuma realização é possível num nível permanente sem esse controle. 


A maioria do pessoal está prezo ao conceito de que ser vegetariano é comer somente folhas. E pode ter certeza de que não é. Tirando vários pratos feitos com legumes, verduras, temos complementos de frutas e proteinas de soja. Pratos variados e que nos satisfazem de forma bem saudavel.

Resposta de AGAMENOM a um usuário do Blog Bardonista:

Você deve manter um pensamento em mente: o de que Franz Bardon escreveu o livro de uma forma bastante flexível, de modo que a maior quantidade de pessoas possível usasse o livro. Ou seja, ele "suavizou" o seu próprio sistema mágico.

De fato, o vegetarianismo não é imprescindível para os exercícios mágicos, ainda mais em estágios posteriores de treinamento, quando o iniciado já dominou seus desejos inferiores, mas, no início do treinamento, principalmente nos Graus I a VIII, é uma ferramenta muito benéfica. Primeiro porque o consumo de carne vermelha torna a digestão muito mais difícil, causando um redirecionamento do fluxo do sangue para o estômago, causando um estupor e cansaço físico mais facilmente. Experimente uma refeição recheada de carne vermelha num dia, e noutro dia uma refeição mais leve, sem carne alguma. Você notará a diferença na sua disposição e na sua energia. Segundo, o corpo astral precisa digerir a energia astral animalesca contida na carne morta, e essa digestão de energia também é bastante difícil, redirecionando as energias que poderiam ser usadas no controle e no silenciamento da mente para uma digestão energética desnecessária, já que a carne não é a única fonte de proteínas. Assim, por exemplo, se compararmos uma pessoa que come carne vermelha frequentemente e tem um estilo de vida autodestrutivo a uma pessoa que não come carne vermelha e tem um estilo de vida mais saudável, a primeira levaria muitos meses ou até mesmo anos para conquistar a sua mente no Grau I, enquanto que a segunda pessoa conquistaria sua mente com mais facilidade, mais rapidez e menos esforço, e talvez com muito mais sucesso e domínio que a primeira pessoa.

A energia digerida através da carne contém uma grande carga de emoções e de impulsos animais, o que, de certa maneira, desequilibra o corpo mental e astral daquele que a consome. Essa assimilação da energia animal contida na carne não transforma o caráter do indivíduo em um caráter mais animalesco, como bem disse Bardon, mas deixa a pessoa mais irritadiça, mais descontrolada (mentalmente falando), e, como resultado final, menos saudável em todos os níveis, seja material, astral ou mental.

Eu, particularmente, não como carne vermelha alguma, nem carne de frango. Eu me esforço para contrabalançar a falta de proteínas com laticínios e muitos ovos, e tenho obtido sucesso até agora, sem perda de peso ou de energia, ou problemas de saúde. Uma ou duas vezes por mês eu como carne de peixe, como um adicional protéico. Eu sou ovolactovegetariano porque, além de ficar convencido pela explicação mágica do consumo de carne vermelha e de seus efeitos, não acredito que consumir carne morta seja um ideal desejável para alguém que esteja desejando a união com Deus. Eu firmemente acredito que, na medida em que o pensamento e a evolução da humanidade progridem, o consumo de carne morta de animais desaparecerá. Em épocas mais remotas e mais grosseiras, é razoável o fato de que o consumo de carne foi necessário e condizente com a evolução da humanidade. Contudo, na medida em que entramos no segundo milênio, com tanta informação nutricional disponível e o simples fato de que existem outras fontes de proteína na natureza, não vejo razão para esse comportamento carnívoro. Uma explicação possível à insistência numa alimentação carnívora é a de que a carne causa um prazer maior aos sentidos do que outros alimentos, e a humanidade do século 21 está apegada demais a esse prazer gustativo para abandoná-lo de vez. Assim, a satisfação dos prazeres terrenos subjuga a razão intelectual, um problema generalizado no poço sombrio de materialismo que é o planeta Terra nos anos 2000.

Sinceramente, não consigo imaginar uma sociedade humana futura altamente desenvolvida, intelectual, espiritual e tecnologicamente, matando e consumindo carne de animais em processo de decomposição, considerando-se a abundância de minerais e nutrientes disponível em plantas, vegetais, legumes e em outros alimentos fornecidos pela Natureza.

Abraço.

Tirado do Bardonista
http://jheugenio.files.wordpress.com/2011/05/imagem-post.jpg

Nenhum comentário:

Postar um comentário